Entrevista na Rádio CBN sobre Labirintopatias

Ontem foi dia de entrevista!

Participei do Consultório CBN para falar um pouco sobre labirintopatias, com a âncora Debora Freitas.

Sempre uma delícia fazer radio!

Quem perdeu e quer ouvir sobre o assunto, pode acessar o link para escutar a entrevista na íntegra :

Labirintite também atinge crianças

Muito Obrigada Debora Freitas e equipe pela simpatia e profissionalismo! Sou fã !!

IMG_6530                              IMG_6524

O uso excessivo do descongestionante nasal pode trazer complicações à saúde

1Na semana passada falamos sobre como o frio e ar seco podem predispor as infecções de vias aéreas superiores.

Hoje, vou abordar um problema bastante comum, que está diretamente relacionado com as principais queixas da população que sofre com obstrução nasal e dificuldade respiratória: o uso em excesso do descongestionante nasal.

É com muita frequência que sou questionada em consulta médica sobre a ação desses medicamentos, sua indicação, contra-indicação e efeitos colaterais. Geralmente, os pacientes procuram uma farmácia para comprar anti-gripais e o descongestionantes nasais. Mas será que por ser vendido sem receita médica, ele pode ser livremente utilizado?

Os vasoconstritores nasais, como o próprio nome diz,  atuam diminuindo o calibre dos vasos sanguíneos, que estão dilatados nos pacientes gripados, resfriados ou com reação alérgica. Seu uso contínuo, acarreta na absorção de quantidades cada vez maiores do medicamento, atingindo a corrente sanguínea de todo o corpo. Nesse momento podem surgir os efeitos colaterais, como taquicardia, arritmia e hipertensão. Entre outras consequências está a rinite medicamentosa e a dependência física/quimica e psicológica que a ação dos descongestionantes nasais provoca no paciente.

Cabe aqui uma critica ferrenha à venda indiscriminada desse tipo de medicamentos  nas drogarias do país. O ideal é sempre procurar um médico para que o tratamento correto seja prescrito, evitando hábitos inadequados e reações adversas.

Acompanhe mais novidades por aqui ou pelo meu Facebook:

https://www.facebook.com/DraSilvanaBellotto?ref=hl

Lavar as narinas e umidificar o ambiente podem te ajudar a evitar IVAS – Infecções das Vias Aéreas Superiores – durante o inverno

Oi pessoal,

Hoje vou falar um pouco de um problema recorrente no inverno: as alergias e os problemas respiratórios.

ID-100110391

Nessa época, não são só as baixas temperaturas que marcam esses dias, mas também o tempo seco. Com os dias com menos ou quase nada de chuva, há um aumento da poluição e uma queda da umidade do ar, provocando espirros, coriza, obstrução nasal, tosse, entre outros sintomas que prejudicam a qualidade de vida da população.

É comum as pessoas sentirem os olhos ressacados, sensação de ardência na garganta e dificuldades para respirar. Nosso nariz é responsável por purificar e umidificar o ar que entra pelas narinas, deixando-o em boas condições para chegar aos nossos pulmões. Nos dias em que a temperatura está mais baixa, nossas narinas ficam mais expostas a poeira, vírus e impurezas suspensas, que aumentam a probabilidade de infecções das Vias Aéreas.

Neste período, tendemos a ficar mais em ambientes fechados, facilitando a transmissão de gripes, resfriados, sinusite, entre outros.

Aqui vão algumas dicas para vocês prevenirem doenças do trato respiratório:

  • Lave as narinas com água ou soro fisiológico;
  • Umidifique os ambientes! Umidificadores ou até mesmo bacias de água são ótimos;
  • Exponha ao sol e/ou lave as roupas de inverno que estavam guardadas antes de usá-las;
  • Beba bastante água para evitar a desidratação e o ressecamento;
  • Evite permanecer por muito tempo em locais fechados.

Acompanhe mais dicas, textos e entrevistas pela minha página do Facebook:

https://www.facebook.com/DraSilvanaBellotto?ref=hl

Inverno aumenta índice de infecções de vias aéreas superiores

ID-10070268 (1)

O inverno chegou e o clima mais frio e seco aumenta muito a incidência das infecções de vias aéreas superiores. Ainda muito se confunde a respeito de rinite alérgica ou infecciosa e a sinusite.

Otorrinolaringologistas são os especialistas mais preparados para identificar o tipo de patologia e o agente causador.

Abaixo, alguns esclarecimentos:

A rinite é uma inflamação da mucosa que reveste o nariz, que se torna hiperreativa devido a diversos fatores inalantes como pólen, pelos de animais, poeira, produtos químicos e alguns alimentos, são causas mais freqüentes da rinite alérgica. Agentes virais – como no resfriado comum, mudança de temperatura, descongestionantes nasais e outras drogas, gestação, etc, causam a rinite não- alérgica.

Em ambas os sintomas são; coriza ( secreção nasal clara) , obstrução  nasal, cefaléia, coceira e espirros. São passíveis de tratamento eficaz e nos casos não-alérgicos, a cura é alcançada, desde que não haja exposição ao agente provocador.

A rinite alérgica, por se tratar de uma doença de herança genética, não tem cura, mas pode ser controlada com tratamento adequado, feito regularmente.

Quando a rinite tem evolução prolongada, por mais de 7-10 dias, o que seria um processo inflamatório agudo, pode se tornar uma infecção. É o que denominamos sinusite.

A sinusite ocorre quando? 

A sinusite é uma inflamação da mucosa que reveste os seios da face (ou cavidades paranasais), que são espécies de câmaras de ar que ficam ao redor do nariz, forradas internamente por uma mucosa muito parecida com a do próprio nariz. Esse revestimento produz muco, que é drenado por pequenos orifícios que comunicam os seios da face com as fossas nasais. Quando os orifícios ficam obstruídos, por secreção, inchaço, ou por alterações anatômicas, os seios da face ficam selados. O muco acumulado não pode ser eliminado pelos orifícios de drenagem dos seios da face e torna-se um ambiente favorável à proliferação de bactérias.

Os principais sintomas da sinusite são obstrução nasal e congestão facial, secreção nasal purulenta (amarelada/esverdeada), dor em face, alteração do olfato, tosse seca/ produtiva, dor de garganta.

Nota-se que os sintomas da sinusite aguda assemelham-se aos da rinite e por isso o médico deve levar em conta a duração e intensidade dos mesmos para definir o diagnóstico.

Os casos de sinusite crônica são raros e ocorrem quando a evolução do quadro perdura mais do que 12 semanas. Os sintomas são mais brandos quando comparados aos da sinusite aguda, mas podem ter períodos de exacerbação.

O tratamento deve ser feito com antibioticoterapia indicada para cada caso, corticosteroides tópicos e/ ou sistêmicos e lavagem nasal com solução salina.

Em casos mais graves, resistentes, se faz necessário levantar a hipótese de tratamento cirúrgico.


Procure um otorrinolaringologista para outros esclarecimentos e controle adequado dos sintomas das vias aéreas superiores.

 

Como cuidar da voz das crianças

No meu post de hoje trago algumas dicas de como cuidar da voz das crianças.ID-100322969

Em minha entrevista ao portal Pais & Filhos, aproveitamos o Dia Mundial da Voz

na semana passada, para destacar como os pais podem ajudar no cuidado da voz dos filhos.

Essas dicas, quando aprendidas desde cedo, podem ser levadas para a vidatoda:

  • Beba água;
  • Não altere o tom da voz;
  • Preste atenção no tom da voz e na entonação;
  • Durma bem;
  • Evite balas e pastilhas.

Confira a matéria na íntegra no meu Facebook: https://www.facebook.com/DraSilvanaBellotto

ou no portal Pais & Filhos: http://goo.gl/Mhuwod

16 de abril | Dia Mundial da Voz

Hoje, 16 de abril édia-mundial-da-voz comemorado o Dia Mundial da Voz e muitos hábitos do cotidiano podem prejudicá-la.

Alguns sinais como garganta coçando, dificuldades para falar ou rouquidão com duração maior do que 2 semanas podem ser algunssinais de que é necessário procurar um especialista.

Aproveitei a data e separei algumas dicas para vocês se cuidarem no dia a dia:

  1. Evite pigarros: eles podem causar lesões nas cordas vocais;
  2. Fumar: o hábito causa irritação na laringe e faz com que ao passar do tempo a voz perca a potência;
  3. Não beba álcool em excesso: isso diminui a sensibilidade da região;
  4. Ingira café moderadamente: a bebida em exageros pode gerar desidratação e levar ao pigarro;
  5. Não grite ou sussurre: Tanto para falar mais alto quanto mais baixo que o normal, exige-se um esforço maior da voz;
  6. Evite permanecer muito tempoem ambientes com ar-condicionado: o aparelho pode atuar no ressecamento das mucosas e prejudicar as pregas vocais.

Aproveitando a data,hoje foi dia de compartilhar com os ouvintes das rádio Tupi AM, 1150,  um pouco mais de dicas e cuidados que as pessoas devem ter com a sua voz.

Para quem perdeu a entrevista dou algumas dicas na minha página do Facebook!